Coral Cidade dos Profetas lança CD com músicas de Lobo de Mesquita


Os sons antigos de Minas estão de volta.
 
O Coral Cidade dos Profetas, de Congonhas, lançou um CD em homenagem a um dos maiores compositores brasileiros do período colonial: José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita, nascido no Serro, em 1746. O CD reúne algumas das mais belas obras do artista.
 
Para marcar a ocasião, o grupo fez uma série de concertos gratuitos, em Congonhas, Belo Horizonte e São Brás do Suaçuí, sob a regência do maestro Herculano Amâncio, com acompanhamento de orquestra e solistas convidados. Os CDs foram distribuídos também gratuitamente para os presentes.
 
O CORAL CIDADE DOS PROFETAS
Fundado em 1988, por um grupo de pessoas interessadas em aprender música, o coral surgiu com a preocupação em aliar arte musical à arte arquitetônica barroca, grande patrimônio da cidade histórica de Congonhas. Ao se especializar na interpretação de música sacra antiga, notadamente a Colonial Mineira, o grupo se tornou um dos principais em atividade a divulgar este inigualável patrimônio imaterial de Minas Gerais.
 
AS MÚSICAS DO CD
Gravado em 2013, na cidade de Congonhas/MG, pela gravadora Bemol, o "CD Coral Cidade dos Profetas" traz no repertório algumas das mais importantes obras do autor e maestro Lobo de Mesquita. O CD revive as antigas missas, celebradas em latim até 1968, quando então começaram as celebrações na língua de cada povo, por determinação do Concílio Vaticano II, que fez uma renovação geral nos ritos e tradições católicas.
 
É possível ouvir a “Missa em Fá Maior”, com o Kyrie, Gloria, Credo, Sanctus e Agnus Dei, sendo composta para quatro vozes, solistas e orquestra. Como preconizava o Concílio de Trento, era preciso proclamar a fé “In Hynnis et Canticis” (com Hinos e Cânticos), fazendo vibrar os espaços das igrejas, do chão até o teto, enquadrando-se, neste contexto, esta peça magistral de Lobo de Mesquita.
 
Outra composição presente no disco é “Matinas de Sexta-feira – Noturno Nº 2”, que retrata os últimos acontecimentos da Paixão de Cristo. O disco encerra-se com “Salve Regina”, por muitos considerada a mais bela composição do compositor, inspirada na conhecidíssima oração católica “Salve Rainha”.
 
LOBO DE MESQUITA
A dedicação da família “Lobo” à música ainda é um mistério, no Serro. O arquivo do Senado da Câmara tem vários registros de pagamentos a membros desta família, pela execução de músicas nos atos solenes. Lobo de Mesquita (12/10/1746 – 1805) era filho do português Joseph Lobo de Mesquita e da escrava Joaquina Emerenciana, liberta no batismo. Nasceu em Vila do Príncipe, hoje Serro, sendo batizado na antiga Igreja da Purificação. Estudou música e latim com o padre Manuel da Costa Dantas, Mestre-de-capela da Igreja Matriz (espécie de maestro).

Os estudiosos de música são unânimes em considerá-lo “acima da média” e alguns o comparam a Mozart, com uma obra à altura dos maiores compositores universais. Viveu e compôs também em Diamantina, Ouro Preto e Rio de Janeiro, onde faleceu.


Semana Santa no Serro (Jussara Seabra)

















Contato do Coral:
coralcidadesdosprofetas@gmail.com
 
Mais informações:

 
.
Ir para a página inicial do Site
.